quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Nada de novo e tudo de novo


REINVENÇÃO


Nascer do sol, de Monet


A vida só é possível
reinventada.

Anda o sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas...
Ah! tudo bolhas
que vêm de fundas piscinas
de ilusionismo... — mais nada.

Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

Não te encontro, não te alcanço...
Só — no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.

Só — na treva,
fico: recebida e dada.

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

(Cecília Meireles)

domingo, 27 de dezembro de 2015

Por um 2016 de tolerância e paz.

Que seja 2016 um ano de mais Inclusão, Diversidade, Tolerância e Paz.



Desenho em nanquim sobre papel de Graça Graúna, de 1981.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

A viagem do Sol




Dezembro 25

                                                    A viagem do Sol

Jesus não podia festejar seu aniversário, porque não tinha dia de nascimento.
No ano de 354, os cristãos de Roma decidiram que ele havia nascido no dia 25 de dezembro.
Nesse dia, os pagãos do norte do mundo celebravam o fim da noite mais longa do ano e a chegada do deus Sol, que vinha para romper as sombras.
O deus Sol tinha chegado a Roma vindo da Pérsia.
Era chamado de Mitra.
Passou a se chamar Jesus.

(Eduardo Galeano. Os filhos dos dias. 3.ed.  Porto Alegre, RS: L&PM, 2014, p. 403)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015