quarta-feira, 29 de maio de 2013

Contrapontos da literatura indígena: lançamento


2 comentários:

Ademario Ribeiro disse...

Ah, essa Graça Graúna - entre outras - todas em uma só deve ser lida, acolhida, amada, afinal, sua escrita tem uma lógica que interpreta a visão que com urgência precisa vir para (des)construir o que a escrita e lógica etnocêntricas impuseram sobre como queriam que fossem vistos os povos indígenas!

Sua leitura é uma urgência!

Graça Graúna disse...

Olá, Ademário: obrigada pela leitura. Vamos nessa luta denunciando as injustiças, as desigualdades e compartilhando os saberes que recebemos dos nossos ancestrais. Paz e bem.