domingo, 17 de fevereiro de 2013

Encontro nacional de mulheres camponesas







Com o objetivo de debater a situação da mulher camponesa diante da opressão e da discriminação e contra todas as formas de violência, o Movimento de Mulheres Camponesas do Brasil (MMC) irá realizar no Parque da Cidade em Brasília dos dias 18 a 21 de fevereiro o 1° Encontro Nacional do Movimento de Mulheres Camponesas do Brasil.
Para as 3000 camponesas esperadas para o evento estão previstas intervenções culturais, mostra de produção das mulheres camponesas e plenárias que debaterão a produção de alimentos saudáveis, o combate à violência contra as mulheres e o feminismo, além de uma mobilização contra a violência a ser realizada no encerramento do encontro, no dia 21 de fevereiro.
Segundo Letícia Pereira, militante e relações públicas do MMC, a mulher camponesa da atualidade ainda sofre com a supressão dos direitos trabalhistas, que preveem o trabalho com carteira assinada, remuneração de acordo com a atividade exercida, férias e licença maternidade. "Pretendemos com o encontro enfatizar o assunto dos direitos previdenciário e trabalhista e discutir políticas públicas que favoreçam a produção de alimentos saudáveis e a comercialização dos produtos feitos pelas camponesas, gerando renda e autonomia financeira para as mesmas”, afirma.
Já estão confirmadas as presenças de Organizações de Mulheres Internacionais dos países de Cuba (Federação de Mulheres Cubanas), Honduras (Conselho para o Desenvolvimento Integral das Mulheres Camponesas), Colômbia (Federação Nacional Sindical Unitária Agropecuária), Venezuela (Frente Nacional Campesina Ezequiel Zamoura), Chile (Associação Nacional de Mulheres Rurais e Indígenas), Paraguai (Coordenadora Nacional de Organizações de Mulheres Trabalhadoras Rurais e Indígenas), República Dominicana (Confederação Nacional de Mulheres do Campo), Itália (Universidade de Verona) e África (União Nacional de Camponeses de Moçambique e uma articuladora de organizações de camponeses da África do Sul - TCOE).
O Movimento das Mulheres Camponesas é o resultado da articulação de vários movimentos sociais femininos do campo. O movimento defende as trabalhadoras do campo no que diz respeito à igualdade de direitos, produção agroecológica de alimentos, valorização e valoração do trabalho, garantia de geração de renda e autonomia para as famílias do campo, dentre outros. Ele pode ser melhor conhecido, bem como a programação do Encontro Nacional em http://www.mmcbrasil.com.br/

2 comentários:

Ademario Ribeiro disse...

Ah, GG, que força terá esse Encontro! Já vislumbro e sinto renovada a paixão do onde nasci e com quem convivi no eito, nas casas de palhas e barro, os calos nas mãos, dia e noite, com meu povo, nas roças, nas estradas, nos sonhos do arranca, da debulha, da plantação e do adivinhar as chuvas nos céus ramiados - entre manacarus, macambiaras, xique-xiques e cascavéis e caumbis! Eita!

Faz-me lembrar as camponesas do semiárido com quem tive a honraria de estar a convite de Leu Silva do Grupo Garra!

Viva a Mulher do Campo!!!!

Que Ñanderu lhes e nos acolha!

Graça Graúna disse...

Querido Ademario - bom seria que todos soubessem plantar e debulhar o cereal da paciência, da tolerância, do respeito ao outro; aí não haveria tanta violência contra as mulheres. Grata por sua presença. Que Ñanderu nos acolha.