quarta-feira, 4 de abril de 2012

Anistia Internacional: compartilhando informAções



Olá


Gostaríamos, antes de mais nada, de compartilhar com vocês algumas informações sobre o que temos feito nas últimas semanas, nossas ações mundiais e no Brasil.

Ativismo online

Primeiramente queremos agradecer a ajuda na nossa campanha de faxes. Foram mais de 5 mil faxes enviados ao presidente da Colômbia em apoio à Comunidade de Paz San Jose do Apartadó. Essa comunidade tem pago um preço muito alto por sua imparcialidade no conflito armado colombiano. Recusam-se a ajudar os guerrilheiros, bem como as forças de segurança e são alvos constantes de ameaças e represálias dos dois lados. A FAXJAM estará volta em abril quando iniciaremos outra campanha e a divulgaremos nas nossas redes sociais. Participe!

Primavera Árabe

O ano começou com os aniversários da Primavera Árabe, um assunto muito importante para a Anistia, pois apesar de muito ter sido feito, ainda há muito por fazer e muitas pessoas estão sendo punidas por se levantarem contra regimes opressores na Síria, na Arábia Saudita, em Barein. Esse foi o tema do nosso Dia Mundial de Ação em Apoio ao Oriente Médio e ao Norte da África


 Comércio Internacional de Armas

A Anistia acredita que o comércio de armas precisa ser regulado para que o mundo possa conter o derramamento de sangue. Acompanhamos as conversas preliminares na ONU que levarão a uma decisão final sobre o tratado internacional para o comércio de armas. 60% de violações graves dos direitos humanos relatados pela Anistia Internacional envolvem o uso de armas, como tem sido o caso na Síria, no Congo e outras nações em conflitos étnicos ou que oprimem a população civil. Julho de 2012 será uma data decisiva na ONU pela votação de um tratado.

Liberdade de expressão e direitos humanos em Cuba

Intercedemos diretamente através de carta ao Ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota para que a blogueira cubana Yoani Sánchez recebesse apoio do governo brasileiro na tentativa de obter autorização do governo cubano para vir ao festival de cinema na Bahia. Infelizmente, apesar do visto de entrada devidamente concedido pelo Brasil, o regime de Cuba, mais uma vez, não permitiu que Yoani deixasse a ilha. Novo convite foi feito a bloggeira para vir ao Brasil em abril e acompanharemos o processo. Também nos manifestamos em relação às declarações da Presidente Dilma durante visita oficial à Cuba, excessivamente tímidas em relação ao tema de direitos humanos no país. Veja o texto http://ow.ly/9VRot e http://t.co/fPtR0u83

Comunidade Guarani Kaiowá MS

No Brasil, nossa campanha contra o desalojamento da comunidade Guarani Kaiowá foi um sucesso. Um grande obrigado a todos/as que assinaram a petição. O tribunal decidiu pela permanência da comunidade Laranjeira Nhanderú nas suas terras ancestrais em Mato Grosso do Sul. Veja aqui nosso apelo http://t.co/rJpTzY8g

Alcance da Lei da Anistia e a Comissão da Verdade
Estamos acompanhando de perto os desdobramentos da votação no Supremo Tribunal Federal. A decisão dos procuradores federais de denunciar criminalmente o coronel Curió é uma indicação clara de que indivíduos suspeitos de cometerem crimes contra a humanidade não podem mais gozar de impunidade por suas ações. Os procuradores afirmaram que o crime de seqüestro, uma vez que o corpo das vítimas jamais foi encontrado, ainda estaria em execução, abrangendo o período posterior a 1979. Seus perpetradores, portanto, não estariam cobertos pela Lei da Anistia. A presidente Dilma prometeu em breve nomear os participantes da Comissão da Verdade sancionada em 18 de novembro. Veja aqui o nosso comunicado à imprensa http://t.co/NEppiVdG
Acompanhe e divulgue nosso trabalho nas redes sociais e na imprensa.
Atila Roque
Diretor-executivo da Anistia Internacional no Brasil

Nenhum comentário: