sexta-feira, 16 de março de 2012

Recital na Praça Castro Alves pelos direitos humanos

Pça. Castro Alves. Imagem extraída do Google

“Feliz da araponga errante
Que é livre, que livre voa!

Que é livre, que livre voa!
Para as bandas do seu ninho,
E nas braúnas à tarde
Canta longe do caminho”

(Castro Alves)

               O poetamigo Ademario Ribeiro é um dos articuladores do recital na Praça Castro Alves, no dia 17 de março, pela manhã, em Salvador. Porque a praça é do povo, lá, os meus alunos e eu (e quem mais chegar) nos encontraremos para refletir a estreita relação entre literatura e direitos humanos. Nesse encontro a grande homenageada é a poesia. Para reiterar a importância desse momento, transcrevo a matéria que o Ademario publicou no Blog “Pensamentações e suas fronteiras”. Em tempo, convido a todos(as) para esse encontro da liberdade com a palavra porque somos livres e quem é livre voa.

Saudades libertárias,

Graça Graúna
************************
De Castro Alves aos Poetas do século XXI: a poesia engajada às lutas pela liberdade.


Poetas confirmados:


Ademario Ribeiro
Ailton Silva & Guerra
Douglas de Almeida
Francisco Assunção
Graça Graúna
Ivan Maia
José Carlos Capinan
Juvenal Teodoro Payayá

Historiando o porque deste Recital


          A professora Graça Graúna (GG)* da Universidade de Pernambuco (UPE), minha estimada amiga e mana de coração e ações, virá numa Excursão Garanhuns (PE) a Salvador, no dia 17 de março (sábado), com seus estudantes do V Período de Letras (turno da noite), tendo como objetivo conhecer em Salvador, a Praça Castro Alves, e ali – com a minha participação (Ademario Ribeiro) e com poetas por mim convidad@s (leia acima) fazermos um recital em homenagem ao poeta baiano, Castro Alves, autor de “Navio negreiro” entre outros poemas notáveis de sua safra. Será também, uma homenagem ao Dia Nacional da Poesia (14.03) e ao mesmo tempo, ouvirmos a poesia dos poetas convidados que são referência por seus poemas engajados à luta contra escravidão. Venha ouvir, ver e se contagiar com suas leituras, declamações e performances.
          Abaixo, (GG) apresenta-nos o que motivou essa excursão, a qual faz parte do seu planejamento junto a (UPE) para a Disciplina de Literatura Brasileira I. Ei-la:
"Justificativa: com base no conteúdo da disciplina Literatura Brasileira I, a excursão Salvador é uma maneira de refletir os caminhos da poesia romântica no Brasil. Nesta perspectiva, cabe a poesia social de Castro Alves: poeta baiano cuja data do nascimento inspirou no Brasil a criação do dia Nacional da Poesia. Castro Alves nasceu em 14 de março de 1847 na fazenda Cabaceiras, interior da Bahia. Concluídos os estudos secundários no Ginásio Baiano, onde começou a escrever seus primeiros versos e ingressou, em 1862, na Faculdade de Direito do Recife, onde despertou  notoriedade por seu dom poético".

Após o aludido evento, socializaremos aqui as fotos.


* É autora indígena do povo Potiguara (RN), Profª Drª PhD e atua na área de Literatura e Direitos Humanos.

2 comentários:

Dagma disse...

Perfeito Salvador com a prof.GG, Ademario e com a minha turma de Letras da UPE

Graça Graúna disse...

Dagma, minha querida...sua participação contribuiu para que tudo fosse maravilhoso. Em outras palavras...".Presta! Obrigado".....rs...rs...