segunda-feira, 6 de junho de 2011

Amanhã eu vou...


O texto que segue (intitulado “Amanhã eu vou...”), recebi do amigo Ayruman, que também assina por Jbconrado. Por gostar da sensibilidade do Ayruman na arte do desenho e na escrita é que publico neste blog  o conto de Ayruman. Seja bem-vindo, Ayryman. Que Ñanderu nos acolha. Graça Graúna
“Oi minha amiga Xamã. Tô com saudades. Olha um conto para desopilar o fígado. Se quiser pode publicá-lo. Tenha uma boa Semana. Luz e Paz. Jbconrado.”

 Arte: Ayruman

Amanhã eu vou. Amanhã eu vou. Esse é o canto do Curiango. Mas nem sempre foi assim.
Dizem que Curiango amava Maria-Angu. Amor daqueles pra lá de fiel. Curiango tinha a mania de andar a esmo pela as florestas e Maria-Angu vivia de só esperar. E nesse devaneio incomum. Nesse capricho escrachado de curiango, Maria-Angu um dia adoeceu. Um, dois, três. Foram longos meses. Longas estações.
Curiango nada de aparecer. Vivia perambulando nas florestas. Nas veredas e caminhos de terra e poeira. Coisa de poeta que ama a liberdade.
E lá nos confins das Gerais Maria-Angu amofinava. Cada dia,  mais fraquinha. Até que fragilizada morreu. E quando curiango ouviu seu chamado, era muito tarde, sua amada já estava bem longe junto às Estrelas.
Curiango não se conformava. Foi uma dor sem tamanho de rasgar sua garganta e seu coração. E deste este dia curiango nas noites de lua cheia, contrito passou a cantar a ladainha que hoje conhecemos: Amanhã eu vou. Amanhã eu vou. Amanhã eu vou.
Foi esse seu jeito encontrado para amenizar sua negligência desastrosa.
Amanhã eu vou. Amanhã eu vou. Amanhã eu vou...

5 comentários:

Ademario Ribeiro disse...

Oh, GG, útero agraciada da palavrAve de amerÍndia, como é lindo que teu canto traga o canto do nosso querido poeta, plástico e xamã Ayruman! Ayrumam, Ayrumam, teu canto sobre o Curuiango e Maria-Angu me fez recordar meu povo, meu sertão e as paixões que se revelam entre curiscos, relâmpagos, na noite escura,entre amigos como vc e GG ou ao inaudito!

Sou feliz hoje porque "amanhã eu vou". Disso eu não me afasto!

Sônia Brandão disse...

Querida Graça,
gostei muito de ver aqui a beleza da arte e do conto do nosso amigo Jb.

bjs

Graça Graúna disse...

Minha querida Sonia Brandão: que surpresa agradável vê-la, aqui. Grata pela atenção,pelo carinho. É bom ter os amigos sempre por perto..você, o Carlos Brandão, O Ayruman....Paz e bem, Graúna

Graça Graúna disse...

Ademario, querido: sua leitura me comove. Eu também quero ir.... Bjos, Graúna

Graça Graúna disse...

Mais um lindo comentário do amigo Ayruman.

De: ayruman.artes@yahoo.com.br
Para: ggrauna@yahoo.com.br

Prezada amiga Graça. Grato por sua gentileza em ceder um espaço no seu Blog.

Por alguma razão mesmo distante estamos unidos.

Assim vejo e sinto a grandeza de pessoas que se preocupam com a integridade humana.

São estas pessoas que nos dão Vida e nos fazem acreditar num mundo melhor...

Sou feliz em poder participar de seu círculo de amigos e hermanos.
Luz e Paz. Sou grato... jbconrado