sábado, 5 de fevereiro de 2011

Outro mundo possível: Fórum Social Mundial 2011 em Dacar



Karol Assunção (Jornalista da Adital)

Depois de quatro anos, o Fórum Social Mundial (FSM) volta ao continente africano. Desta vez, a capital senegalesa, Dacar, terá a oportunidade de sediar o evento que reunirá organizações e movimentos sociais de 123 países. A abertura oficial acontecerá no próximo domingo (6) com uma marcha que sairá da Radio Television Senegalaise (RTS) rumo a Universidade Cheikh Anta Diop, local onde ocorrerão as ações do Fórum.
Quase mil atividades autogestionadas estão programadas para acontecer até o dia 11. Duas delas convocadas pela Agência Latino-Americana de Informação (Alai) para o dia 8 de fevereiro: "A política como desafio: movimentos para os novos paradigmas de mudança”, que ocorrerá de 16h as 19h; e "A informação alternativa a serviço das mobilizações políticas e sociais”, a qual será divida em três mesas de debate, de 9h as 19h.
Como todos os anos, além das atividades autogestionadas; assembleias e celebrações também farão parte dos seis dias de programação do FSM. Destaque para o segundo dia de Fórum, dedicado ao continente anfitrião, com o Dia da África e da Diáspora. A ideia é que as resistências e as lutas dos povos do continente africano sirvam de exemplo para as demais populações do mundo.
De acordo com a organização do evento, três questões nortearão as discussões do FSM 2011: a situação mundial e a crise; a situação dos movimentos sociais pela cidadania; e o processo dos fóruns sociais mundiais. A primeira diz respeito a quatro dimensões da crise do capitalismo: a social, a geopolítica, a ecológica e a ideológica. Na ocasião, também haverá espaço para aprofundar o debate sobre a crise de civilização, apresentada durante o FSM 2009, em Belém, no Pará.
Já nos debates sobre a situação dos movimentos sociais, o foco será as lutas pela cidadania e pelo acesso aos direitos. Dentro dessa perspectiva, dois pontos serão enfatizados: os direitos ambientais na preservação do planeta; e os direitos de migrantes que ultrapassam as fronteiras, com destaque também para as diásporas.
A terceira questão, que trata sobre os fóruns sociais mundiais, apontará a importância do Fórum como lugar estratégico de encontro de movimentos e organizações de todo o mundo. Além disso, ressaltará o valor e a força dos fóruns sociais descentralizados na construção dos FSMs e de grandes mobilizações.

Atividades estendidas
A distância não impedirá aqueles que não puderem ir a Dacar de participar do Fórum. A partir de amanhã (4) até o dia 13, pessoas e organizações de várias partes do mundo podem preparar uma ação à distância e participar das atividades de "Dacar Estendida” do FSM 2011 mesmo sem estar presente fisicamente na capital senegalesa.
Os interessados devem enviar um correio eletrônico para facilit.espaco.fsm.extendido@gmail.com informando: local, data, horário, organização proponente, pessoa de contato, tema e formato da atividade.

Para mais informações, acesse: http://fsm2011.org/br

Nota: ao publicar em meio impresso, favor citar a fonte e enviar cópia para: ADITAL - Caixa Postal 131 - CEP 60.001-970 - Fortaleza - Ceará - Brasil 

4 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Graça
Que riqueza este seu espaço!
Estou maravilhada!
Muito feliz, minha descoberta...
Virei sempre.
Abraço.

Fred Caju disse...

Graça,
tive o prazer de ser seu aluno na Disciplina de Educar para os Direitos Humanos em 2008 na Universidade Federal de Pernambuco. Apesar de termos tido apenas um encontro, faço questão de deixar registrado o quanto o contato com a sua pessoa, o seu conhecimento e a sua poesia foi importante para mim. Ao final da aula que tive com você, cheguei a elogiar seu trabalho e se faço de novo após alguns anos é porque ainda sou grato. Na ocasião, achei melhor me apresentar apenas como historiador, não como poeta. Creio que errei, mas tentando corrigir minha falha, eis que me apresento como poeta: http://fredcaju.blogspot.com/
Mais uma vez grato e parabéns pelo seu trabalho. Abraços!

Graça Graúna disse...

Fred, permita-me chama-lo de poetamigo. É gratificante para mim saber das boas lembranças que você guarda das nossas reflexões em Educar para os direitos humanos. Fico feliz pela visita ao meu pequenino blog e aproveito o instante para agradecer pela atenção e pelo carinho. Vou, sempre que possivel registrar um recadinho no seu blog poético. Aguarde-me. Saudaões indígenas, Graça Graúna

Graça Graúna disse...

Estimada Zélia: seja bem-vinda a este cantinho de reflexões sobre poesia e direitos humanos, do ponto de vista indígena. Grata pelo carinho, pela visita. Paz em Ñanderu.