domingo, 16 de janeiro de 2011

"Só peço a Deus"



Solo Le Pido a Dios

(Leon Gieco)


Sólo le pido a Dios
que el dolor no me sea indiferente,
que la reseca muerte no me encuentre
vacio y solo sin haber hecho lo suficiente.

Sólo le pido a Dios
que lo injusto no me sea indiferente,
que no me abofeteen la otra mejilla
después que una garra me arañó esta suerte.

Sólo le pido a Dios
que la guerra no me sea indiferente,
es un monstruo grande y pisa fuerte
toda la pobre inocencia de la gente.
es un monstruo grande y pisa fuerte
toda la pobre inocencia de la gente.

Sólo le pido a Dios
que el engaño no me sea indiferente
si un traidor puede más que unos cuantos,
que esos cuantos no lo olviden fácilmente.

Sólo le pido a Dios
que el futuro no me sea indiferente,
desahuciado está el que tiene que marchar
a vivir una cultura diferente.

Sólo le pido a Dios
que la guerra no me sea indiferente,
es un monstruo grande y pisa fuerte
toda la pobre inocencia de la gente.
es un monstruo grande y pisa fuerte
toda la pobre inocencia de la gente.


Só Peço a Deus

(Leon Gieco)


Só peço a Deus
que a dor não me seja indiferente
que a seca morte não me encontre
vazia e só sem ter feito o suficiente

Só peço a Deus
que o injusto não me seja indiferente
que não me esbofeteem a outra face
Depois que uma garra me arranhou essa sorte

Só peço a Deus
que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e esmaga
Toda pobre inocência da gente
É um monstro grande e esmaga
Toda pobre inocência da gente

Só peço a Deus
que o engano não me seja indiferente
Se um traidor pode mais que uns quantos,
que esses não esqueçam facilmente

Só peço a Deus
que o futuro não me seja indiferente,
Desiludido está o que tem que marchar
para viver uma cultura diferente

Só peço a Deus
que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e esmaga
Toda pobre inocência da gente
É um monstro grande e esmaga
Toda pobre inocência da gente

2 comentários:

IVANCEZAR disse...

Eu me criei ouvindo não só a Mercedes Sosa, mas toda a geraçao de cantores de "protesto" onde se incluía o então marido dela, HORÁCIO GUARANÍ , aliás com uma bela canção que marcou os anos "verdes" que se chamava "SI SE CALLA EL CANTOR" e que dizia mais ou menos assim:

- Si se calla el cantor/
calla la vida/
porque la vida, mismo/
és un própio canto ....

Enfim... tempos de exílio da família no Uruguai ....

Grauninha - estarei ausente por algumas semanas, pois minha filha maior chega aos 15 e de presente levaremos ela para conhecer a Europa. No retorno conto as novidades...
bjs sulinos !!

Graça Graúna disse...

Boa viagem, meu querido poeta e amigo. Parabens pelo 15 anos da sua menina e grata mais uma vez pela atenção. Paz e bem, Grauninha