terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Quase um alento


Sonho, acordo e enloucresço.
Penso: a vida seria desolada
se não houvesse canções de amor.

Não digo, só penso:
você é quase o meu alento
ou quase tudo que eu quero.
Vamos deixar o nosso nome na porta
viver o momento
e seguir a canção.

***

Graça Graúna
Nordeste do Brasil, 21.jan.2010

***
Nota: ler ao som de "Mora na filosofia", música interpretada por Caetano.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Haiti : ajuda humanitária

UNICEF no Brasil recebe doações para as vítimas do terremoto no Haiti

Uma vez que quase a metade da população do Haiti tem menos de 18 anos, o UNICEF possui um papel especialmente decisivo e espera conseguir pelo menos 120 milhões de dólares, em todo o mundo, para sua ação de ajuda humanitária às vítimas do terremoto do último dia 12 de janeiro. Em um primeiro momento, os esforços do UNICEF para ajudar a salvar vidas e contribuir para a recuperação do Haiti estarão focados no abastecimento de água potável e saneamento, na alimentação terapêutica para bebês e crianças pequenas, no fornecimento de medicamentos e abrigos temporários.
O UNICEF no Brasil está recebendo doações para as vítimas do terremoto no Haiti. As doações podem ser feitas em favor do Fundo das Nações Unidas para a Infância, no Banco do Brasil; agência 3382-0; conta-corrente nº 404700-1. O CNPJ do UNICEF é 03744126/0001-69.
Essa arrecadação do UNICEF no Brasil está sendo feita em articulação com as outras agências do Sistema ONU e tem como foco prestar socorro às crianças e aos adolescentes vítimas do terremoto.
O UNICEF no Brasil também está recebendo doações para o Haiti por meio de seu site seguro: doe agora! Mais informações sobre as doações podem ser obtidas pelo telefone 0800 601 8407.
***

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Miragens

Imagem: Pierre Bonnard


À meia luz
escudados nos sonhos
despistaram o medo de amar
e só diante do espelho admitiram
que a nudez é um perigo
capaz de intimidar o Amor
...depois do amor a espera
sem pressa, sem dor
depois do amor
o desejo natural
de repousar entre lençóis
e continuar a loucura
que não se vê em jornais.
Escudados nos sonhos
beberam a angústia do ser
na boca molhada de suor e sexo
seguindo o infinito
neste sopro de adeus...


Graça Graúna
Sobrevoando o cerrado/DF, em 12.jan.2010

Nota: poema publicado no Overmundo

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Postal

Rio Capibaribe(Recife), por Marcio Cabral de Moura - Flickr


À flor da água:
Recife
Pasargada
penhasco
feérica espera
vereda-mar

Ai, Recife!
Quem-me-quer à flor da pele?
Quem há de enxugar meus prantos?


Graça Graúna. Postal. In: Canto Mestizo, Maricá/RJ, 1999, p. 59
Nota: poema publicado no Overmundo.