sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

A presença indígena no Mérito Cultural



Em 1995, o Ministério da Cultura criou a Ordem do Mérito Cultural que trata do reconhecimento do Governo Federal a personalidades, grupos artísticos, iniciativas e instituições que se destacam por suas contribuições à Cultura Brasileira.
Há 15 anos, mais precisamente, o Dia Nacional da Cultura (5 de novembro) marca essa cerimônia. Desde a sua criação, já foram entregues mais de 400 condecorações a personalidades nacionais e estrangeiras. O local das condecorações é o Theatro Municipal do Rio de Janeiro.
Em 2010, duas mulheres indígenas se destacam entre as personalidades nacionais. Elas atuam no campo dos direitos humanos, especificamente no que se refere aos direitos dos povos indígenas: 
Azelene Inácio Kaingáng – natural de Carreteiro, terra indígena localizada no Rio Grande do Sul, formou-se socióloga, e sua luta em defesa dos povos indígenas lhe rendeu, entre outros, o Prêmio Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, em 2006. 
 
foto 1: Azelene Kaingang

Joênia Wapixana - da aldeia indígena Wapixana (RO). Aos oito anos, mudou-se com a mãe para Boa Vista, onde passou a frequentar a escola. Não falava bem o português e tinha dificuldade de acompanhar as aulas. Em 1997, tornou-se a primeira advogada indígena do Brasil. É conhecida por sua atuação na demarcação da Reserva Indígena Raposa Serra do Sol e considerada uma das lideranças populares mais respeitadas no país.
foto 2: Joênia Wapixana
Ao longo da história do Mérito Cultural, a presença indígena vem contribuindo para a reflexão acerca da diversidade cultural que caracteriza o nosso país. Desse modo, foi homenageado o Povo Panará (indígenas do Mato Grosso e do Pará), em 2004 (veja foto 3, abaixo):
foto 4: Daniel Munduruku

A condecoração em 2006 foi para o escritor indígena Daniel Munduruku e o Ailton Krenak (embaixador indígena), em 2008. Com essas homenagens, a Ordem do Mérito Cultural abre uma janela para que a sociedade perceba uma realidade que, em geral, o brasileiro desconhece; pois há mais de 500 anos os governantes vêm criando barreiras no processo de inclusão da cultura e da história indígena nas escolas.

 foto 5: Ailton Krenak
A homenagem do mérito cultural aos povos indígenas e mais a Lei 11645/08 são uma forma de abraçar a cultura do outro.  Isto significa uma grande mudança e um passo a mais no reconhecimento dos povos indígenas na condição de primeiros habitantes do nosso país e a sua relevante contribuição para à formação, à cultura e à história brasileira.


Texto:  Graça Graúna
Nordeste do Brasil, 3.dez.2010

Crédito das imagens:

Foto 1:
Foto 2:
Foto 3:
Foto 4:
Foto 5:

5 comentários:

Ademario Ribeiro disse...

É isso aí, GG. Parabéns a esses parentes e força e parabéns a tant@s outr@s que estão na trilha ou que têm aberto picadas entre arapukas.

Aproveito para mais uma vez parabenizar você e o Daniel Munduruku - e quem mais? - que estarão participando de relevantes Mesas Redondas em Sampa do dia 10 à 12 de dezembro!!!!

Beijos,

Teu fã e agora aluno:

Ademario - AR


Prosseguir.

Cristiano Melo disse...

Minha querida, ando em falta em comentar seus posts, e gostaria de afirmar minha saudade de você pela net. Como sempre um texto rico e que nos informa de uma maneira clara, sobre um tema, que para mim, é tão importante que se mantenha em foco, para não se perder o foco!

Beijos

Cris

PS: gostaria de publicá-lo no meu blog de ciências e cidadania, o CIPSEC, posso?

Graça Graúna disse...

Cris, meu amigo lindo: você nãoprecisa pedir licença, viu Fico feliz com o seu comentário e a lembrança de mim. Também tenho saudades de você e das pessoas de espirito elevado que conheci no tempo bom do Overmundo. Saudade de Bia, de Brazuca...e quem mais...? Agora deu umbranco....é a velhice....rs....Grata por você existir. Paz em Ñanderu,
Graça Graúna

Graça Graúna disse...

Ademario, negrindio do meu coração: nem precisa dizer o que sinto com a sua presença aqui no blog...felicidade junto com alegria que se esparrama pela terra. Meu querido, preciso muito das suas leituras que me ensinam a viver. Grata pela visita e muita paz em Ñanderu.

Cristiano Melo disse...

Querida,

muito obrigado!
se quiseres ver, eu o postei no http://cipsec.blogspot.com/

beijos
Cris

PS: Quanto mais espaço, melhor não?!
:)