sábado, 20 de fevereiro de 2010

Manifesto I

Imagem: Socioambiental

...fragmento que sou
da fúria no choque cultural,
aqui, manifesto o meu receio
de não conhecer mais de perto
o que ainda resta
do cheiro da mata
da água
do fogo
da terra e do ar
Torno a dizer:
manifesto o meu receio
de não conhecer mais de perto
o cheiro da minha aldeia
onde ainda cunhantã
aprendi a ler a terra
sangrando por dentro


Graça Graúna
Nordeste do Brasil, 20 de fevereiro de 2010
***
Nota: publicado no Overmundo.

8 comentários:

Angela Ursa disse...

Graça, espero que você possa guardar sempre no coração a sua aldeia e que a natureza seja forte para preservá-la. Beijos floridos!

GRAÇA GRAÚNA disse...

Minha querida Angela: primeiramente quero expressar minha alegria em recebê-la nesta minha pequena oca virtual. Tee você por perto significa um grande presente que vem de ñanderu. Grata pela leitura do poema Manifesto e pelo carinho. Saudades muitas, Grauninha

Joe_Brazuca disse...

demoro pra vir, pois oe tempo nos escraviza...mas, aos verdadeiros amigos, sempre os tenho no cantinho do coração...

Graúna...este seu poema me deu muito medo...essa coisa que nos assola , que não tem nome, mas é monstro indomável, que vem destruir nosso planeta...

haverá alguma chance ?

muito medo mesmo...

bj

GRAÇA GRAÚNA disse...

Meu querido Joe - ultimamente tenho andado medrosa e issonão é bom. Então pra disfarçar o medo escrevo. Na verdade queria mesmo acreditar que posso me vestir de alegria e coragem como quer ñanderu, mas sou tão pequenininha diante do mundo e assim mesmo me atrevo a sonhar, ouvir canções, achar que o mundo ainda pode ser bom....achar que posso encontrar flores pelo caminho.....mas me ponho a chorar da minha meninice e olha que sou uma india véia, mas juntando também a manha de indio....sou assim, hora vestida de esperança, ora vestida de medo. Ainda bem que tem você e umm monte de gente boapor perto que arrecada um tiquinho de tempo pra ler as coisas que escrevo.muito obrigada, viu? Fique com a luz de Ñanderu. Bjos, Grauninha

(Carla) disse...

Sou brasileira.
Nunca estive na Floresta natural.
Não conheço o verdadeiro cheiro da vida.
Tenha medo.
E coragem mais ainda!
Em alerta,
Carla.

GRAÇA GRAÚNA disse...

Estimada Carla: ter coragem e estar constantemente em alerta é já um sinal de guerreira; isto já é suficiente para afastar o medo. Seja sempre bem-vinda. gosto da sua doce presença. Paz em Ñanderu.

Leite de Pedra disse...

«...manifesto o meu receio
de não conhecer mais de perto
o cheiro da minha aldeia...». Muito bonito e actual.

GRAÇA GRAÚNA disse...

Ao responsável do blog Leite de Pedra registro meus agradecimentos pela atenção aos meus escritos. Volte sempre.