sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Postal

Rio Capibaribe(Recife), por Marcio Cabral de Moura - Flickr


À flor da água:
Recife
Pasargada
penhasco
feérica espera
vereda-mar

Ai, Recife!
Quem-me-quer à flor da pele?
Quem há de enxugar meus prantos?


Graça Graúna. Postal. In: Canto Mestizo, Maricá/RJ, 1999, p. 59
Nota: poema publicado no Overmundo.

2 comentários:

iracema forte caingang disse...

Inspirada na madrugada,lindo!!
BEIJÃO

Meu msn iracemaforte@hotmail.com

GRAÇA GRAÚNA disse...

Iracema Caingang, estimada irmã de luta: tenho saudades da mata, dos igarapés, do sossego das aldeias. Apesar das contradições, a cidade grande me fascina. Amo Recife e sofro também por isso. Grta pela leitura do poema Postal.Bjos, Grauninha