terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Miragens

Imagem: Pierre Bonnard


À meia luz
escudados nos sonhos
despistaram o medo de amar
e só diante do espelho admitiram
que a nudez é um perigo
capaz de intimidar o Amor
...depois do amor a espera
sem pressa, sem dor
depois do amor
o desejo natural
de repousar entre lençóis
e continuar a loucura
que não se vê em jornais.
Escudados nos sonhos
beberam a angústia do ser
na boca molhada de suor e sexo
seguindo o infinito
neste sopro de adeus...


Graça Graúna
Sobrevoando o cerrado/DF, em 12.jan.2010

Nota: poema publicado no Overmundo

10 comentários:

Cíntia Thomé, Jornalista, Escritora e Poeta . - disse...

muito bom...um repouso dos deuses e anjos...
Linda visão depois do amor...


bjus

GRAÇA GRAÚNA disse...

Cintia, poetamiga: seja sempre bem-vinda. Seus comentários recebo-os como presentes vindos dos deuses. Paz em Ñanderu.

José Carlos Mendes Brandão disse...

Poema de paz, serenindade.
Um alento no coração.
Beijo.

Márcia Sanchez Luz disse...

Grauninha querida, que poeeeeemmmaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço!!

"...Escudados nos sonhos
beberam a angústia do ser..."


Li em voz alta. Não resisti!

Beijos carinhosos

Márcia

GRAÇA GRAÚNA disse...

Meu bom mestre Carlos Brandão: sonho, acordo e percebo que a vida seria desolada se não houvesse canções de amor. Grata pela leitura do poema Miragens. Paz e bem, Grauninha

GRAÇA GRAÚNA disse...

Marcia Sanchez, poetamiga: tuas palavras aquecem meu coração. Fico feliz que tenha gostado de Miragens. Agradeço a Ñanderu a sua doce presença. Bjos de luz, Grauninha

Perpétua Amorim disse...

Graça ganhei um exemplar do seu Canto Mestizo e gostaria muito de dizer-lhe o quanto encantou-me a sua poesia. Seus poemas são profundos. Te confesso que me apaixonei por eles. Cariosamente quero acolher-te na minha biblioteca e no meu dia a dia.
Grande beijo.
Perpétua Amorim

GRAÇA GRAÚNA disse...

Estimada Pepétua Amorim: você é muito generosa. Saiba que me faz muito feliz ver meu Canto Mestizo ser acolhido em sua biblioteca e na sua vida. Você parece uma pessoa muito sensível. Grata pelo carinho. Bjos de luz, Graça Graúna

GRAÇA GRAÚNA disse...

Perpetua Amorim disse:
--------------------------
Graça,
desculpa o atrevimento, mas achei que deveria mandar pra vc....
gosto de colocar minhas emoções no papel(ou melhor na tela do computador rsrs), seus poemas fizeram um redemoinho nas minhas entranhas.... o fato de vc citar o tempo, dar cores aos sentimentos muito me agrada, tenho vários textos com essa referências.

Bem, aí está... Beijos e mais uma vez obrigada - Perpétua Amorim


Tear do Tempo

Depois do choro, veio o silêncio
Forte e dolorido
como ele só
Palavras diminuídas
Sofridas
inúteis.

O tempo tece
sem parar
um manto azul
sem estrelas
sem sol
nem luar.

Uma Graúna me disse:
"Que a tristeza é azul."

Azul também é a vida
Muitas vezes mutilada
Outras tantas destruída.

Uma Graúna me disse:
“Viver é minuto
Morrer é momento”.

Hai(de)ti
Envolvido neste manto azul
Quase eterno.

GRAÇA GRAÚNA disse...

Estimada Perpétua: grata mais uma vez, pela atenção aos meus escritos. Seu poema é lindo. Observei taqmbém que há nos versos uma referencia ao meu nome; não mereço tanto. Paz em Ñanderu, Graça Graúna