segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Outras histórias


 Noite estrelada de Van Gogh.


Bebeu a angústia do ser
e saiu na tarde quente e vazia
pelas ruas
sem lenço, sem documento
como fez Camões
ou foi Caetano
que também salvou a nado
um violão ao peito?

Bebeu a angústia do ser
na boca molhada
de suor e sexo
seguindo o infinito
neste sopro de adeus


Graça Graúna. Tear da palavra. Belo Horizonte: M.E. Edições Alternativas, 2007, p.7.

domingo, 30 de agosto de 2009

Do paladar das palavras

O poeta Anibal na Academia de Letras do Amazonas


Hoje acordei com saudades
do paladar das palavras
que vem lá doAmazonas
no versos de um amigo
que lá no céu faz a festa
anjo bom Aníbal Beça


Graça Graúna, Nordeste do Brasil, 30.ago.2009

Nota: em 25 de agosto o dia deu em chuvoso. Saudades do poetamigo Beça

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Confirmado: entre os 100 mais votados


Estimados(as) internautas:

estou muito contente com o resultado do juri popular que, no Brasil, coloca o meu Blog entre os 100 mais votados na categoria Cultura. Não tenho palavras para agradecer a atenção de todos(as) que arrecadaram uma parte do precioso tempo para votar no meu Blog e compartilhar dos meus escritos.
Que Ñanderu (o Grande Espírito, em guarani)
cubra a todos(as) com o seu manto de luz.
Saudações literárias,
Graça Graúna
Nordeste do Brasil, 20.ago.2009

domingo, 16 de agosto de 2009

Prêmio Sepé Tiaraju de Poesia Ibero-Americana



Sepé Tiaraju (-1756) – Herói guarani, de São Miguel (RS), foi morto em combate. Tornou-se figura central na luta contra o Tratado de Madri, que exigia a retirada da população guarani do território que ocupava havia cerca de 150 anos. Defendeu com a vida o rincão de caça, pesca, plantio e morada do povo guarani. Recebeu por isso canonização popular. Costumava dizer “Esta terra tem dono”. Após sua morte foram dizimados 1500 guaranis por espanhóis e portugueses.


Objetivando incentivar e divulgar a literatura concebida nas Línguas Espanhola, Portuguesa e Guarani, a Oca das Letras promove o 1º Prêmio Sepé Tiaraju de Poesia Ibero-Amerícana/2009, instituído pelo seguinte regulamento:
Art. 1º. O 1º Prêmio Sepé Tiaraju de Poesia Ibero-Amerícana/2009 destina-se a todas as pessoas interessadas, desde que as poesias sejam escritas em Língua Portuguesa, Espanhola ou Guarani.
Art. 2º. As inscrições são gratuitas e se encerram no dia 31 de agosto de 2009. Após esta data, os trabalhos serão desconsiderados.
Art. 3º. Os concorrentes poderão participar com 3 (três) poesias, cada uma limitada a 25 (vinte e cinco) linhas de 60 (sessenta) caracteres. As obras inscritas deverão ser inéditas e não podem ter sido premiadas em outro concurso de poesia.
Art. 4º. As inscrições são efetuadas através do sítio eletrônico da Revista Cultural Oca das Letras (link no final desta página).
Art. 5º. Cada concorrente pode realizar apenas 1 (uma) inscrição contendo necessariamente 3 (três) poesias.
Art. 6º. Os resultados serão divulgados no sítio eletrônico da Revista Oca das Letras (http://www.ocadasletras.com.br), pela mídia e individualmente (via e-mail) a todos os participantes, no dia 15 de outubro de 2009.
Art. 7º. A comissão julgadora será composta por 5 (cinco) membros de reconhecido nível intelectual, sendo sua decisão soberana e irrecorrível. A comissão julgadora pode conceder menções honrosas.
Art. 8º. Premiação:
1º lugar:
- Troféu Sepé Tiaraju, confeccionado por Guaranis;
- Certificado de participação constando a referida classificação;
- Publicação de um livro de poesias, de aproximadamente 50 (cinqüenta) páginas. O autor receberá 20 (vinte) exemplares, a título de cedência de direitos autorais para esta edição específica;
- 2 (dois) exemplares do livro “Antologia do 1º Prêmio Sepé Tiaraju de Poesia/2009”, contendo 3 (três) poesias de cada autor premiado (até o 20º colocado), a título de cedência de direitos autorais para esta edição específica;
- Publicação de 5 (cinco) poesias na edição de novembro/2009 da Revista Oca das Letras.
2º ao 20º lugar
- Certificado de participação constando a referida classificação;
- 2 (dois) exemplares do livro “Antologia do 1º Prêmio Sepé Tiaraju de Poesia/2009”, contendo 3 (três) poesias de cada autor premiado, a título de cedência de direitos autorais para esta edição específica;
- Publicação de 1 (uma) poesia na edição de novembro/2009 da Revista Oca das Letras.
Parágrafo 1º: A Comissão Julgadora poderá conceder Menção Honrosa para um ou mais trabalhos, se assim julgar pertinente, dando direito a certificado e publicação.
Parágrafo 2º: Ao autor não caberá nenhum tipo de indenização ou pagamento de qualquer espécie, por parte da Revista Oca das Letras e da editora responsável, na publicação de seu trabalho.
Art. 9º. O encaminhamento dos trabalhos na forma prevista neste regulamento implica na concordância plena com as disposições nele consignadas.
Art. 10º. Casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora.
>> Clique aqui e inscreva suas poesias <<
O prêmio contempla poesia concebida nas Línguas Português, Español e Guarani. Como premiação, além de uma antologia poética contendo três poesias de cada um dos 20 primeiros colocados, também será publicado um livro depoesias do autor vencedor.inscrições gratuitas, até 31 de agosto de 2009, através da página:


mais informações:

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Ao Bukowski, com carinho.


Minha pequena homenagem ao “Velho safado”, que no dia 16 de agosto faria 89 anos.

Bukowski, por você fico de quatro
pra não terminar sozinha
no túmulo d’um quarto
***
Graça Graúna, Nordeste do Brasil, 11 de agosto de 2009.
Notas:
1) poema publicado no Overmundo.
2) veja também o Diário de Buk, criado por Samuca

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Cênica

Para: Chico Buarque, Elis Regina e Helena Parente Cunha.


PRIMEIRO ATO
Ele praguejava tanto...
_ Faça isto, faça aquilo!
Não me interessa
o que você pensa
o que você quer
o que você sonha!

SEGUNDO ATO
Arrastando a cruz
em seu silêncio’
“ela não consegue despregar
nenhum sorriso”.

TERCEIRO ATO
Quebrado o encanto
ouve-se uma voz:
_ Não chores tanto.
Ter consciência
dos próprios direitos
é mirar-se no espelho
de marias e liliths
soltar a voz
juntar os cacos
e, se possível, reconhecer
a identitária chama.

ÚLTIMA CENA
Vestida de coragem
ela soltou a voz
dançou a valsa da cidade
e seguiu pela vida
em sintonia com o tempo.

Graça Graúna. Cênica. In: Antologia talento delas. São Paulo: Rebra Selo Editorial, 2007, p. 64-66.


Nota: publicado no Overmundo.