quarta-feira, 15 de julho de 2009

Reverso do cárcere

Imagem: Google


para Osman Lins

Na alta madrugada
o coro entoava
estamos todos aqui
no ofício de ser
criador
criatura
traçando, tecendo
das circunstâncias
vertentes.
Assim, torno a ver
no reverso do cárcere
o lado negro e cru
do ofício de escrever


Graça Graúna. Tessituras da terra. Belo Horizonte: M.E. Edições Alternativas, 2001, p.36.
Nota: poema publicado no Overmundo.

11 comentários:

costacarvalho disse...

Nas altas madrugadas, sempre nascem as palavras dos dias, sempre.
Paz em Ñanderu.

GRAÇA GRAÚNA disse...

...e renasce também a alegria de ter você por perto, meu querido Roberto Costa Carvalho. Grata por chegar. Paz em Ñanderu, Grauninha

José Carlos Brandão disse...

Escrever é o ofício de tirar leite das pedras, fazer brotar a iluminação do fundo do cárcere.
Deus a abençoe.

GRAÇA GRAÚNA disse...

Meu querido mestre Carlos Brandão: minha alegria se renova quando você aparece e genrosamente compartilha a sua sabedoria. Grata pela leitura de Reverso do Carcere. Em Ñanderu, Grauninha

Wagner Marques disse...

Sabe, Graça, às vezes tenho a impressão que o ofício de escrever é as asas de quem vive da escrita!

abraço,
muitas saudades...

GRAÇA GRAÚNA disse...

Wagner: meu amigo poeta, meu lindo que saudade! Minha alegria se renova com você aqui. Grata pela leitura de Reverso do Carcere. Bjos de luz.

Adauto Suannes disse...

Hoje resolvi matar a saudade.
E não me arrependi.

GRAÇA GRAÚNA disse...

Obrigada, meu amigo Suannes. Hoje o meu dia ganhou um sabor especial com a sua presença. Paz e bem, Grauninha

Almirante Águia disse...

E as palavras fugindo dos cárceres iluminam as noites negras, fazem novas tessituras.

Muita Paz

GRAÇA GRAÚNA disse...

Meu querido Almirante Águia: grata, mais uma vez, por sua iluminada presença. Seja sempre bem-vindo. Paz em Ñanderu, Grauninha

JOAO NEUDES DE LUCENA disse...

Parabens. Um belo Blog.Vou inbclui-lo entre meus favoritos e, com certeza o visitarei com frequência.