domingo, 26 de julho de 2009

Quase hai-kai V

Imagem: Interior, de Henri Matisse

Traspassa o eterno
circuito da vida
na janela do poema


Graça Graúna. Tessituras da terra. Belo Horizonte: M.E. Edições Alternativas, 2001, p. 33.

5 comentários:

Cristiano Melo disse...

Graça,
da janela do poema, tudo atravessa, perpassa, trespassa, transforma...Poder criativo muito bem colocado aqui em seu poemeto.
beijos saudosos
Cris

GRAÇA GRAÚNA disse...

Cris, meu lindo amigo do cerrado: posso dizer que o sol da amizade brilhou mais forte com a sua presença. Grata pela leitura do Hai-kai V. Saudades muitas. Bjos, Grauninha

samuca santos disse...

grauninha, querida;
um dia , quando for um poeta de coragem, me aventuro e tento.
mas já que não vai sair nada tão bonito.

bjs

ps. verificação de palavras?
saco...

GRAÇA GRAÚNA disse...

Samuca do meu coração:você é uma das pessoas mais corajosas que eu conheço; a sua poesia sugere isso.Bjos, Grauninha

Almirante Águia disse...

Magia do haicai
projetar o sentimento
abandonar a explicação.

Grande Abraço