quinta-feira, 9 de abril de 2009

Poéticas indígenas - Sarau

Foto: Dede Fredizzi. Modelo: Alikrim Pataxó

Todo dia é dia de poesia. Com este espírito, o dia 19 de abril foi escolhido pela antropóloga e escritora Deborah Goldemberg, para marcar o I Sarau das Poéticas Indígenas. A idéia, segundo Goldemberg, é reunir escritores(as) indígenas e de outras origens, cuja obra tenha inspiração indígena de alguma região do Brasil. Em outras palavras, nesse I Sarau “não cabe apenas uma única poética, a ocidental [...], mas a diversidade que vive nos cânticos, na história oral, no ritual indígena, tendo em comum a inventividade e o encantamento com a palavra e suas possibilidades. Essa reunião de poetas e poéticas pretende dar projeção e ânimo a este ainda singelo movimento intercultural e literário que é o da literatura indígena” afirma a idealizadora do sarau.A programação contempla as regiões Norte, Nordeste, Sul e Sudeste, com escritores(as) indígenas e simpatizantes da causa indígena no país.
A respeito dos mitos e lendas da Região Norte, consta a apresentação do antropólogo Pedro Cesarino sobre os índios Marubo; apresentação dos índios Eurico Baniwa e Juju Murá, de São Paulo, que abordam a cultura baniwa e murá; declamação do poema “O Guesa errante”, de Sousândrade e do poema “Cobra Norato”, de Raul Bopp. A declamação está a cargo de Tatiana Fraga. Leitura da lenda das Incamiabas – guerreiras do Amazonas, em Ressurgência, livro de Deborah Goldenberg.
Da Região Nordeste, cabe destacar: a apresentação dos índios Pataxó do Sul da Bahia Manoel Santana e Zé Fragoso; do líder indígena Bino Pankararu (PE), que vive em Real Parque, em São Paulo. Leitura da Escritora Eliane Potiguara (RJ), autora de Metade cara, metade máscara. Leitura de poemas e apresentação do vídeo "Canção peregrina" da escritora Graça Graúna (descendente potiguara, RN), radicada em Pernambuco.
Da Região Sul e Sudeste consta: a apresentação dos índios Guarani Nhandeva, com a índia Poty Porã e o índio William Macena. Leitura do escritor indígena Olivio Jekupe, da Aldeia Krukutu (Parelheiro, em São Paulo). Declamação Nicole Cristófalo em torno dos textos poéticos do escritor José de Alencar e do poeta Gonçalves Dias. Declamação de João Pedro Ribeiro (descendente Kaingang), que relembra o modernismo brasileiro, em parceria com os poetas maloqueiristas Caco Pontes e Berimba de Jesus. Leitura do escritor Douglas Diegues, de Assunción, autor de uma coletânea de poemas Guarani M’Bya. Leitura de Pedro Tostes, poeta do movimento paulistano de “Poesia Maloqueirista. A declamação do indígena Emerson de Oliveira Souza (guarani nhandeva, residente em São Paulo) que traz a leitura de um texto do Pajé Florêncio Portillo, de 1993.
O programa Entrelinhas, da TV Cultura, dedicado à literatura, irá também fazer a cobertura do evento. O sarau acontecerá na Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura - considerado um local de celebração da poesia, da literatura e da arte em geral e que serve de cenário para a efervescência da vida cultural.

Nota: o modelo do cartaz, Alikrim Pataxó, vive na Aldeia Olho do Boi, Caraíva, Bahia.
Onde fica: Casa das RosasAv. paulista, 37, São Paulo - SP
Quando ir:19/4/2009, às 20:00h

Graça Graúna, Nordeste do Brasil, 9.abr.2009
Nota: artigo publicado no Overmundo com 169 votos

4 comentários:

miluzcintila disse...

É sempre muito bom vir aqui!
Venho desejar a você uma Páscoa abençoada e feliz repleta dos recomeços que você espera...
um beijo de luz
mirna

GRAÇA GRAÚNA disse...

Gratíssima, Miluz: feliz Páscoa pra você também. Volte sempre.

Ademario disse...

Ah, Graúna, Graúúúúnaaaaaaaaa!
Vou sempre te poetar e poetar pessoas como estas que estão botando p’ra lá com este Sarau e entre outros saraus!
Por isso continuo a repetir e se mil línguas tivesse:

Eliane Potiguara, Graça Graúna, Natalina Bomfim:
kunhã, sy, endyra, aîyra!
Porang’eté!
"Muito bonito!"
Porang’eté!
"Muito bonito!"

Marcos Terena, Marcos Aguiar,
Ras, Heitor Kayowá,
- Abá, ubá, ykeyra, membyra!
Porang’eté!
"Muito bonito!"
Porang’eté!
"Muito bonito!"

Jabê turuçu poryb
jabê ipó!
"Cada vez mais
assim deve ser!"

Curutem oatá!
"Acelerar os passos!"

Ademario Ribeiro
Abril Indígena 2009

Compulsão Diária disse...

Pois! Belíssimo sarau. Eu morava ao lado da casa das rosas. Lindo lugar. E agora aqui estou vizinha dos Pataxós , no sul da Bahia! Dia 19 tá logo aí. Vamos acompanhar via Graça Gauna. Assinei o feed.