segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Entre-lugar

Don Quixote, Salvador Dali - 1971.

De um lado
a palavra
do outro
o silêncio
estreando realidades conhecidas.

A pá lavra o abismo
que vai de mim
ao outro

Graça Graúna. Tear da palavra. Belo Horizonte: M.E.Edições Alternativas, 2007, p. 20

2 comentários:

Nathália Lippi disse...

Sou antenada em poesia (não por acaso, trabalho como assistente editorial do poeta Ulisses Tavares, conhece?), visitei seu blog e gostei muito.

Olha, se puder, dá um toque para seus blogueiros e amigos olharem o site que gerencio:

www.ulissestavares.com.br

Sempre tem poesia nova lá e os visitantes concorrem a um livro autografado toda semana.

Sem burocracia e sem despesa alguma. Basta clicar no site, enviar um e-mail e concorrer.

Grande beijo e continue no caminho da poesia que o mundo precisa disso

Márcia Sanchez Luz disse...

Grauninha querida, seu blog está lindo demais! Sua poesia sempre me encanta e me impele a visitar este espaço tão aconchegante.

Obrigada por sua visita e seu carinho constante.

Beijos em seu coração,

Márcia