sábado, 1 de novembro de 2008

Sobrevivente


  
Imagem da Internet. Piano de John Lennon


A bala se alojou em minh'alma.
De repente
como se nada tivesse acontecido
tomei um porre
dobrei a esquina.


Nota: e tudo que ele pedia era uma chance à Paz.

Sobrevive. In: Graça Graça Graúna. Canto mestizo. Marica/RJ: Blocos Editora, 1999.
Nota: no site Overmundo, este poema recebeu 187 votos

3 comentários:

Ramon Diego disse...

Muito massa. às vezes o amor é assim, como uma bala perdida.

marilia disse...

São tantas, as balas perdidas, que já se teme pedir paz, por pouca que seja...
Tempos duros, esses em que vivemos.
Lindo poema.

Abraços.

PS. Vi um poema seu referido no orkut da minha madrinha, Rosa Tenório... Acho que vocês se conhecem! O mundo é mesmo muito pequeno...

Tânia Gauto disse...

de repente a bala não mata apenas
ela transforma