terça-feira, 9 de setembro de 2008

Serra do Mar



A história foi se formando na paisagem:

nem poluição
nem violência nas ruas

nem jogos sofisticados
nem roupas de grife

barulho nenhum de automóveis
só a voracidade do vento passando por lá



Graça Graúna. Tessituras da terra. Belo Horizonte: M.E. Edições Alternativas, 2001, p. 40.



Nota:

“As migrações dos Guarani Mbyá, em direção ao mar, estão ligadas à procura da Terra sem Mal. Eles buscam a terra prometida (Yvi Mara Ey) neste mundo ou em um paraíso mítico além da Terra. Para os índios Guarani de Bracuí, há três possibilidades para a identificação deste local: depois do mar, no céu ou no Paraguai (centro da terra). O mar ocupa um lugar central na tradição Mbyá. Ao mesmo tempo que ele é um obstáculo para o Guarani transpor e atingir o paraíso – o ponto de chegada-, é , nas suas proximidades, que o destino desse povo pode se realizar. A predileção dos Guarani Mbyá pela Serra do Mar – ao invés da orla, como os antigos Tupi – adquire uma significação especial para esses índios devido ao mito de origem da terra. Ela é o dique do mar (Centro de Documentação Eloy Ferreira da Silva).
No site Overmundo, este poema recebeu 215 votos.

2 comentários:

Educadora em Direitos Humanos disse...

Recebi pelo yahoo, o seguinte comentário de Claudia Almeida - alma da poeta:
Claudia Almeida enviou o link de um blog para você:

Graça, Que poema suave de pura imagem, o mar de encontro com as rochas, areias, praias e como os índios, sentamos a olhar o horizonte na linha, o paraíso! Lindo! beijinhos claudinha

Blog: Graça Graúna
Postagem: Serra do Mar
Link: http://ggrauna.blogspot.com/2008/09/serra-do-mar.html

Jorge Elias disse...

Bela imagem e poema.
Gostei muito de ler a nota.
Aonde poderia ler mais sobre o tema?

Um abraço,

Jorge Elias