segunda-feira, 7 de julho de 2008

Canto Mestizo



Donde hay una voluntad
hay un camino de espera.
Apesar de las fronteras
las carceles se quebrantan.
Mira! En mi tierra mestiza
un pájaro de América canta!

Canta la Libertad, hermano!
Canta la Libertad!

Canta la fuerza del pueblo
del niño solo en la calle
del campesino y el obrero
hermanos de la Verdad.
La Libertad incendia
tu voz cruzando el aire.

Canta la Libertad, hermano!
Canta la Libertad!


Graça Graúna, Nordeste do Brasil, março de nuvens escuras em 1979, In: Canto Mestizo. Editora Blocos, Maricá/RJ, 1999.
NOTA: há mais de 30 anos fiz este poema em homenagem a Mercedes Sosa e a todos(as) militantes da justiça, da liberdade e da paz na América Latina. Com este poema também homenageio a colombiana e ambientalista Ingred Bettancourt. Paz em Nhande Rú para todos(as).
Nota: no site Overmundo, este poema recebeu 176 votos>

5 comentários:

Jorge Elias disse...

Paz para vc também!

Um abraço,

Jorge Elias

Educadora em Direitos Humanos disse...

Jorge Elias, é bom ter você por perto. Grata pela visita. Bjos, Graça Graúna.

Educadora em Direitos Humanos disse...

No site Overmundo este poema também foi publicado. Há dezenas e dezenas de comentários em torno dopoema Canto Mestizo. Apareça também por lá. Bjos, Graça Graúna
Eis o link:
http://www.overmundo.com.br/banco/canto-mestizo

Nat disse...

Que lindo blog Graúna! Estava mesmo precisando ler teus poemas.
És uma mulher muito generosa, linda! Obrigada pelas tuas palavras no overmundo,

Saudações amorosas,

Natalina

Nat disse...

Que lindo blog Graúna! Estava mesmo precisando ler teus poemas.
És uma mulher muito generosa, linda! Obrigada pelas tuas palavras no overmundo,

Saudações amorosas,

Natalina